top of page

Vivências do Tempo e Espaço e Suas Alterações






Explorando as Dimensões Temporais e Espaciais na Experiência Humana

As vivências de tempo e espaço formam as bases essenciais de todas as experiências humanas, sendo fundamentais no universo humano, como destacado por Dalgalarondo (2019). Jaspers (1985) complementa essa visão, ressaltando que o tempo e o espaço são qualidades essenciais na estrutura das vivências, tanto normais quanto patológicas. Representar qualquer experiência humana sem considerar o tempo e/ou espaço seria, segundo Jaspers, impossível.

Dimensão Temporal: Ritmos Biológicos e Vida Psíquica

A dimensão temporal da experiência humana está intrinsecamente ligada aos ritmos biológicos, como o circadiano, mensal, sazonal e as grandes fases da vida. A vida psíquica se configura nos aspectos temporais, possibilitando a distinção entre tempo objetivo (externo e mensurável) e tempo subjetivo (interno e pessoal).

Anormalidades na Vivência do Tempo

  1. Vivência do Tempo e Ritmo:

  • Em estados depressivos, a passagem do tempo é percebida como lenta, enquanto nos estados maníacos, é rápida e acelerada.

  • Ritmo psíquico oposto: taquipsiquismo na mania e bradipsiquismo na depressão.

  1. Ilusão sobre a Duração do Tempo:

  • Deformação acentuada da percepção da duração do tempo, presente em intoxicações por substâncias e fases iniciais de psicoses.

  1. Atomização do Tempo:

  • Incapacidade de inserção na continuidade temporal, resultando em uma experiência fragmentada e descontínua. Exaltação maníaca e agitação são exemplos.

  1. Inibição da Sensação de Fluência do Tempo:

  • Falta de sensação do avançar subjetivo do tempo, desalinhando o tempo objetivo com o interno.

Anormalidades na Vivência do Espaço

  1. Estado de Êxtase:

  • Perda da fronteira entre eu e o mundo externo, com a sensação de fusão com o ambiente.

  1. Estado Maníaco:

  • Percepção de um espaço extremamente dilatado, invadindo o espaço alheio.

  1. Quadros Depressivos:

  • Percepção de um espaço exterior encolhido, escuro e pouco penetrável.

  1. Quadros Paranoides:

  • Vivência do espaço interior como invadido por aspectos ameaçadores do mundo, considerando o espaço exterior como fonte de perigos.

  1. Agorafobia:

  • Percepção do espaço exterior como sufocante, perigoso e aniquilador.

Explorar essas dimensões é crucial para compreender a complexidade das experiências humanas e suas manifestações em diferentes estados psicológicos.


17 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page