top of page

ESTUDO DAS FUNÇÕES PSÍQUICAS E A ANÁLISE FÍLMICA


As funções psíquicas são elementos criados para compreender a composição do funcionamento de uma pessoa. Elas correspondem ao mundo interior, instintos, desejos, emoções, lembranças, juízos, raciocínios percebidos por uma consciência. É possível, em certa medida, observar parte do funcionamento do processo psíquico a partir da observação, através do comportamento, da linguagem, dos gestos, da conduta, etc. O papel das grandes funções psíquicas ou mentais é garantir a adaptação do indivíduo em seu mundo. Elas podem se divididas em: consciência, atenção, orientação, vivências do tempo e do espaço, sensopercepção, memória, afetividade, vontade e psicomotricidade, pensamento, juízo de realidade, linguagem. Os sinais e sintomas descritos no campo da saúde mental podem ser psíquicos (queixas relacionadas à atividade mental do indivíduo) --> por exemplo dificuldade para pensar, falta de concentração; ou físicos (queixas relacionadas ao corpo) --> por exemplo cansaço, fraqueza, entre outros.

A descrição dos quadros clínicos em psiquiatria depende de verificação minuciosa dos aspectos observáveis das funções psíquicas de um indivíduo (bem como dos questionamentos realizados na anamnese). Portanto, o estudo das funções mentais e suas alterações são imprescindíveis para o PSICODIANGÓSTICO.

LEMBRANDO:


EXAME MENTAL: O estudo isolado é somente procedimento didático, favorecendo o estudo detalhado e aprofundado. Suscita enganos e simplificações inadequadas. Pois, NÃO EXISTEM FUNÇÕES PSIQUICAS ISOLADAS, SÃO CONSTRUCTOS, permitem uma aproximação psicológica e psicopatológica para comunicação. QUEM ADOECE É UMA PESSOA NA TOTALIDADE E NÃO UMA FUNÇÃO MENTAL --> Afinal, transtorno psíquico não é só agrupamento de sintomas. As obras audiovisuais retratam um determinado contexto sócio-histórico, bem como apresentam distintos comportamentos e condutas dos indivíduos. ˜ Então, elas serve como entretenimento, mas também como via de análise para refletir sobre o modo do homem ser e estar no mundo. Os filmes são exemplos de representação de uma realidade, uma vez que a linguagem cinematográfica possibilita ao espectador problematizar a vida e a instauração e/ou a criação de novas concepções de mundo. Tal como pontua o filósofo Deleuze (2005, p. 30), “o importante é sempre que o personagem ou o espectador, e os dois juntos, se tornem visionários”; ou seja, que se retire o foco do que é comum e se pratique uma intuição filosófica, em outros termos, praticar um conhecimento efetivo. O uso de filmes comerciais pode funcionar como mediador para o estudante lidar com aspectos práticos envolvidos em processos clínicos reais, a partir da análise das funções psíquicas dos personagens. Assim, possibilita o aprimoramento nas técnicas de observação, de interpretação e de formulação de hipóteses sobre casos clínicos. Toda quarta-feira, o Núcleo Tendere, através da "Quarta Cine" faz uma indicação de filme que são postados no Instagram e no Facebook do núcleo. Além das indicações semanalmente realizadas, abaixo segue uma lista com sugestões de filmes.




Filme “Íris”



I.M é uma filósofa e romancista bem conceituada, dinâmica e que tem grande

envolvimento nas relações sociais, com idade entre 60 a 65 anos e começa a sentir os primeiros sintomas de comprometimento de Memória conhecida como Doença de Alzheimer. O Transtorno de Demência caracterizase pelo desenvolvimento de múltiplos déficits cognitivos (especialmente comprometimento da memória). IRIS, 2001. Dir.: Richard Eyre. 2001, duração: 90 min, gênero: Drama.


Filme “Melhor É Impossível” O filme conta a história de um escritor da temática do universo feminino, Sr. Udall que mora sozinho, é considerado racista, grosseiro, mal educado, homofóbico, insuportável. Sua rotina é marcada por rituais e por frequentes conflitos com seus vizinhos. O diagnóstico do personagem principal, Sr, Udall, é o de TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo). Segundo Dalgalarrondo (2019), no Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) o indivíduo apresenta obsessões, pensamentos intrusivos, recorrentes e persistentes, com comportamentos repetitivos e ritualísticos, ele tenta sem sucesso ignorar, evitar, ou suprimir tais pensamentos. Sr. Udall apresentava estes sintomas, possuía ideias compulsivas, mania de limpeza, tendência exagerada para a ordem e simetria, medos de contato, fobias e superstições. MELHOR É IMPOSSÍVEL, 1998. Dir: James Brooks. 1998, duração 150 min, gênero: Drama.



Filme “Estamira”


O Documentário Estamira conta a história de uma mulher de 63 anos que sofre de distúrbios mentais e trabalha há mais de vinte anos no aterro sanitário do Jardim Gramacho, um local renegado pela sociedade, que recebe diariamente mais de oito mil toneladas de lixo produzido no Rio de Janeiro. ESTAMIRA, 2004.

Dir: Marcos Prado. 2004, duração 100 min, gênero: Documentário



Filme “Ensina-Me A Viver” ENSINA-ME A VIVER, 1971. Dir: Hal Ashby, duração 90 min, gênero: Romance.




Filme “Entre Elas” Baseado na história real das irmãs Papin, mostra que as duas passam a desenvolver um comportamento cada vez mais forte e incontrolável. ENTRE ELAS, 1994. Dir: Nancy Meckler, duração 104 min, gênero: Drama.


Filme “Prisioneiro Do Silêncio” A personagem principal Sally Goodman tem um filho adolescente, David, com autismo. Sua excessiva dedicação a ele fizeram-na perder boa parte de sua vida e felicidade. PRISIONEIRO DO SILÊNCIO, 1994. Dir: Robert Ackerman, duração 90 min, gênero: Drama.



#ANOTE ISSO# Esses filmes são apenas exemplos de indicação para discussão de casos clínicos em psicopatologia. Escolham algum deles e assistam! Ao assisti-los, vocês precisam reconhecer os principais sinais e sintomas em cada quadro clínico. Atentar-se para: queixa principal, história familiar, características clínicas (sinais e sintomas), discussão diagnóstica (qual a hipótese diagnóstica apresentada no filme), tratamento realizado (se houver). Bom filme!

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page